Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2010

Meu texto no Bule Voador

O texto "Curando espíritos com remédios" foi publicado no blog Bule Voador.

Também saiu no jornal Diário Regional. http://www.diarioregionalrs.com.br/arquivos/pdfs/4om9bi2y7iq373lgxjjlxi8bk2urg.jpg

Curando espíritos com remédios

Registrando mais uma sincronicidade

Estou escrevendo uma crônica que vou publicar ainda hoje aqui no blog. No mesmo momento em que escrevo a palavra "consultar", na rádio Gaúcha o locutor diz a palavra "consultado", na frase que fecha toda a propaganda de remédio. Na crônica, falo sobre remédios também.


Esclarecendo a Bìblia V

Num debate no Orkut, lançaram a seguinte pergunta: há possibilidade de Deus existir?

Acrescento, por que a pergunta não poderia ser ampliada para possibilidade de deuses existirem? Ou uma deusa?

Justamente por que nossa cultura é patriarcal, criamos um deus homem, e não mulher. Mas há culturas com divindades femininas. Aliás, se pensarmos na quantidade de deuses e deusas que já criamos e destruímos e quantos ainda "existem" para alguns. Se estamos falando de um deus é por que somos influenciados pela cultura cristã. Se estivéssemos na Índia, por exemplo, a pergunta seria outra, da mesma forma se Roma não tivesse instituído o cristianismo como religião do império. Aliás, até a Bíblia diz que existiam vários deuses, mas só um, claro, deveria ser venerado:

"Êxodo 12:12 - E eu passarei pela terra do Egito esta noite e ferirei todo primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e sobre todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o SENHOR.
Êxodo 15:11 - Ó SENH…

Registrando sincronicidades

Lendo Hellblazer e escutando o disco do grupo de rap Faces do Subúrbio. Leio a expressão "pé na tábua" em uma das histórias de John Contantine e, simultaneamente, ouço a mesma expressão em uma das músicas do grupo.

Minha coluna na Gazeta do Sul de hoje

Resenha sobre o livro Solo, do Juremir Machado da Silva, na minha coluna na Gazeta do Sul de hoje.
Soluções para a vida
Não dá para levar a sério o Juremir Machado da Silva. Mesmo quando ele escreve sobre assuntos sérios. Sua ironia implacável engana muito gente. Quem não conhece seu estilo, pensa que ele não tem modéstia nenhuma, pois seguidamente se considera um dos maiores escritores do Brasil. Aliás, quase escrevo Machado de Assis como seu sobrenome. Muitas de suas crônicas lembram a autobiografia Ecce Homo, de Nietzsche, cujos capítulos são pérolas do egocentrismo, como “Por que sou tão sábio” ou “Por que escrevo livros tão bons”. E, assim como o filósofo que preconizou a morte de Deus, Juremir é um crítico dos costumes, da política, da mídia. Tem como objetivo derrubar ídolos, tanto nos textos do Correio do Povo e do seu blog, como nos programas de rádio em que participa. E também nos livros.Um dos alvos de Juremir (me permitam usar o primeiro nome dele, resultado de uma intimid…

E-mail do Juremir

E-mail que recebi do Juremir Machado da Silva, sobre a resenha do seu livro.

Prezado Cassionei: adorei a resenha. Claro que é sempre bom ler uma resenha positiva sobre um livro da gente. Mas gostei especialmente por teres identificado aquilo que é essencial para mim quando escrevo. Em outras palavras, tu me leste como eu espero ser lido. Não é todo dia que isso acontece. Posso publicar a resenha no meu blog? Abraços. Juremir