Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2013

Algumas reflexões surgidas no painel citado no post anterior

Às vezes me considero um gênio incompreendido. Outras vezes me considero um fracasso. Não sou nenhum nem outro.
O prazo para escrever nunca foi empecilho, pelo contrário, pois só funciono quando o tempo aperta.

Escrevemos sobre o que nos angustia. Por isso tenho muitas personagens que são escritores.

Sempre terei um público pequeno para me ler/ouvir. Pequeno em quantidade, mas grande em qualidade.

Você pode, se souber fazer bem, subverter as regras da ABNT na monografia ou na dissertação.

Apresento minha dissertação e o romance hoje na Semana Acadêmica de Letras da Unisc

Participarei hoje de um painel sobre monografias e dissertações na XIV Semana Acadêmica de Letras da Unisc - Universidade de Santa Cruz do Sul. Vou falar sobre a minha dissertação de mestrado, que resultou no romance ainda inédito "Os óculos de Paula". http://www.unisc.br/site/tecendo-conexoes/pages/programacao.html

Moleskine de pobre

Juli Zeh no Traçando Livros de hoje

Minha coluna na Gazeta do Sul de hoje. Detalhe para o anunciante. Será que foi intencional? Aqui, no site do jornal: http://www.gaz.com.br/gazetadosul/noticia/424657-corpo_sao_mente_nem_tanto/edicao:2013-09-18.html

Pego em flagrante pela câmera da TV comprando livros!

Por que ler apaixona?

Mauro Ulrich, editor do caderno Mix do jornal Gazeta do Sul, para o qual colaboro, fez essa pergunta para alguns escritores e gente ligada aos livros em Santa Cruz do Sul, inspirado no lema da Feira do livro da cidade. Eis minha resposta:

Ítalo Calvino, em "Por que ler os clássicos"

"a escola deve fazer com que você conheça bem ou mal um certo número de clássicos dentre os quais (ou em relação aos quais) você poderá depois reconhecer os “seus” clássicos. A escola é obrigada a dar-lhe instrumentos para efetuar uma opção: mas as escolhas que contam são aquelas que ocorrem fora e depois de cada escola.

  É só nas leituras desinteressadas que pode acontecer deparar-se com aquele que se torna o “seu” livro."
Os leitores assíduos e antigos do blog entenderão: