Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2015

Nei Duclós na minha coluna Traçando Livros de hoje

Romance que deixa rastros no leitor
As histórias do novo romance de Nei Duclós, Tudo o que pisa deixa rastros (edição do autor, 161 páginas) são sobre parte da História que deixou poucos rastros. O ficcionista apenas seguiu as pegadas, as pistas, as trilhas deixadas por alguns historiadores e jornalistas elencados na bibliografia. Poeta por vocação, historiador por formação, jornalista por profissão, o gaúcho Nei Duclós mostra-se um romancista que se arrisca, e com bons resultados.
Sigo também, para escrever estas linhas, os vestígios deixados pelo escritor. Eu próprio deixei meus rastros nas frases sublinhadas. Traço os livros como a onça deixa suas pegadas.
O romance é formado por fragmentos de parte da História não contada nos livros didáticos. Não há um protagonista, salvo se considerarmos o livro como um conjunto de contos, o que nos desmente a ficha catalográfica. São as guerras, os conflitos e revoluções ocorridas no Brasil nos séculos XIX e XX, dos conflitos da independência do …

Chamem o poeta!

No jornal Gazeta do Sul, página de opinião.

As sombras e os muros de José J. Veiga

Texto publicado na minha coluna no site Digestivo Cultural.
“Que são eles, quem eles pensam que são”, versos que pertencem à música “3ª do plural”, dos Engenheiros do Hawaii, seriam uma ótima epígrafe para boa parte das narrativas do escritorJosé J. Veiga. Há em muitos dos enredos de seus contos e romances uma localidade que recebe alguns forasteiros, cujas identidades nunca são reveladas, que instalam máquinas ou fábricas que interferem de certa forma na vida dos habitantes. Muda o cotidiano, as relações familiares são abaladas, amizades desfeitas e um clima de desconfiança entre os moradores fica evidente. Penso, só para exemplificar, no romance A hora das ruminantes e no conto “A usina atrás do morro”.
Sombras de reis barbudos, obra de 1972 reeditada recentemente pela Companhia das Letras, segue o mesmo caminho. O protagonista Lucas narra a história, a pedido de sua mãe, já alguns anos depois do ocorrido: “Sei que esse pedido insistente”, diz o rapaz, “é um truque para me prender em…