Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2017

Bolaño para iniciados

Mais um texto meu lá na Revista Amálgama. Dessa vez, escrevi sobre mais um livro do baú de Roberto Bolaño: https://www.revistaamalgama.com.br/03/2017/resenha-o-espirito-da-ficcao-cientifica-roberto-bolano/.

O ventre, de Cony, e o suicídio assistido

Nascidos do mesmo ventre, um é mais estudioso, calado, comportado, enquanto o outro vai mal nos estudos e tem um comportamento inadequado de acordo com as normas paternas. Por isso é este é desprezado pela família, uma ovelha negra. Ele mesmo narra sua nada agradável situação. O amor não correspondido, o amigo que era o exemplo de safadezas e deixa de sê-lo, o irmão protegido pelos pais, o horrível internato. José Severo, o protagonista de O ventre (Editora Nova Fronteira, 208 páginas, também disponível em e-book) é um anti-herói à moda de Macunaíma, feio, desengonçado, alto e narigudo, pouco inteligente, mas esperto para certas coisas (com muitos zeros no boletim, mas “um seis em composição”). Carlos Heitor Cony estreou com esse romance em 1959. E estreou muito bem.O ventre aqui não é só o útero que gera a vida, mas também o abdome da vizinha do colégio pelo qual a mão do jovem passa até chegar aos pelos pubianos. O ventre que degenera. Apesar das brincadeiras com Helena no porão de …

"Cacos e outros pedaços" no Caderno de Sábado do Correio do Povo

O lançamento do meu livro na semana passada teve divulgação no Caderno de Sábado do jornal Correio do Povo, de Porto Alegre.

Resenhas sobre obras de Machado de Assis - I

“Rabugens de pessimismo”
Apesar de assinar sempre como escritor os textos que publico no jornal ou na internet, não é essa a função que sustenta a minha família. Sou o claro exemplo do escriba amador, no sentido de não receber e também no de amar o que faz, sem esperar receber por isso. Acabei escolhendo como atividade profissional a de professor, principalmente de Literatura, para poder me manter e, ainda assim, continuar falando e escrevendo sobre livros.É essa profissão que me dá a satisfação de, quase todos os anos, ler e reler, quando a memória começa a falhar (e ela sempre falha), obras literárias fundamentais. Entre elas está Memórias póstumas de Brás Cubas, do maior escritor brasileiro, Machado de Assis, publicada em 1881. Reli a obra em uma edição recente da Penguim/Companhia das Letras, com prefácio de Hélio de Seixas Guimarães e estabelecimento de texto e notas de Marta de Senna e Marcelo Diego. Edição caprichada, portanto, apesar da capa sem graça. Brás Cubas, que narra sua…

Hoje é o lançamento de "Cacos e outros pedaços"

Primeira resenha sobre "Cacos e outros pedaços"

Resenha de Romar Beling na Gazeta do Sul, mais precisamente no Caderno Mix, sobre o meu livro de contos “Cacos e outros pedaços” (Editora Penalux). Apenas uma correção na matéria: o livro custa R$ 34,00.


"Somos filhos de Machado de Assis"

Quem é mesmo massa de manobra?