Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2005

Contos de bolso

A editora Casa Verde de Porto Alegre está publicando a coletânea Contos de bolso. Li alguns no caderno Cultura de Zero Hora e no site da editora e dá pra dizer que os textos são pequenos no tamanho, mas grandes em qualidade. Também, com o time selecionado, só poderíamos ter "alta" literatura.
A capa do livro me fez pensar na noção que temos hoje do que seria um livro de bolso: deve caber no bolso de trás de uma calça jeans. Se lembrarmos das antigas coleções da Ediouro, como a Prestígio, veremos que o livro deveria caber no bolso de um paletó ou casaco ou então na bolsa da mulher. Não sei se o livro da Casa Verde vai ter esse formato, o que interessa é que teremos mais um livro de minicontos no mercado.

A filosofia no Planeta dos macacos

Estive agora há pouco conversando com meus alunos na aula de Filosofia sobre o filme O planeta dos macacos, o de 1968. Deu para explicar o pensamento mítico-religioso que imperava no planeta. Quando algum cientista começa a descobrir que o que está nos rolos sagrados não é totalmente verdadeiro, sofre punições. O capitão Taylor, que cai no planeta, representa justamente o filósofo, mais precisamente o homem que se desprende das correntes na caverna de Platão, pois busca a verdade, sendo impedido a todo momento pelo guardião da fé. Quando consegue encontrá-la...

Porém, ah, porém

Inicio este blog explicando o nome dele. Nos meus momentos filosóficos percebo que em tudo que pensamos há um porém: gosto daquele escritor, porém..., estive pensando naquele filme, muito comentado, porém... Por isso, se vou dar uma opinião ou comentar a opinião de outros, o porém vai sempre aparecer. E o "ah, porém"? Bom, diz a lenda que o grande Paulinho da Viola estava cantando numa roda de samba o ainda inédito "Foi um rio que passou em minha vida". Em determinado verso aparece o porém: "Porém, há um caso diferente..." No meio do porém, um tal de Jorge tascou, de fundo, um ah, porém. O Paulinho gostou e resolveu convidar o Jorge para gravar o famoso verso. O homem ficou conhecido como Jorge Porém, e o verso acabou aparecendo depois em outras músicas. Essa é história que eu conheço, PORÉM, se o leitor conhecer outra, é só avisar.Em tempo: já vi que a letra da música é assim: "porém, ai porém", prefiro, porém, o "ah".
Para fechar, dig…