Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Apresentados

“O caminho na direção do Nada”

O que eu fazia aos 22 anos de idade? Lia bastante, escrevia algumas coisas (crônicas, contos, resenhas), já tinha textos publicados em jornais, cursava Letras na universidade, trabalhava de subgerente em um motel, terminava minha carreira frustrada de “rapper”, já era casado e recém me tornara pai. Estava, enfim, aprendendo a ser alguém, se é que me tornei alguém até hoje.O escritor espanhol Alberto Olmos, por sua vez, aos 22 anos escrevia seu primeiro e belo romance, “A bordo del naufragio", que li recentemente. O jovem protagonista, da mesma idade do autor, é leitor e estudante universitário e destila sua visão pessimista sobre o mundo (num falso foco narrativo em 2ª pessoa que acompanha seus pensamentos), num dia em que nada dá certo, ele que é um sujeito que, digamos, aceita o fracasso como forma de vida, sabe que o navio vai afundar a qualquer momento, guiado por um capitão (ele mesmo ou Deus?) que não tem nenhum controle.O mapa do acaso me fez ler um livro escrito por um re…

Mensagens mais recentes

Meu ensaio sobre “Fahrenheit 451″, de Ray Bradbury, no Bar do Poeta

Sobre “As parceiras”, de Lya Luft

Meu ensaio sobre Sabato no BarDoPoeta

"Velhos", de Alê Motta

15 anos do blog

Minha coluna de hoje no Jornal Arauto: "O vírus e Sísifo"

Dalton Trevisan, 95 anos

Luiz Felipe Pondé na minha coluna de hoje

O grande romance branco