Mensagens

A mostrar mensagens de 2018

Uma decepção

Para tentar entender o suicídio

Do meu novo romance

Um mestre do conto sai de campo

A vida que ninguém vê

Nós também somos animais

É somente um brinquedinho inofensivo...

Dia dos Mortos: dia de aprender a viver

Minhas últimas palavras (ou Eu disse que devanear cronicamente mata)

Escrever, viver, morrer (ou Devanear cronicamente mata)

Preferiria não escrever esta crônica

O desprezo da literatura por quem faz literatura

Aquele garoto em cima do muro

A primeira crônica

Mais uma resenha aqui do blog linkada no site do Vila-Matas

Mano Brown dixit - parte 2, texto meu no site Amálgama

Vila-Matas publica mais um livro para quem é doente de Literatura

Meu novo romance, "Relatos póstumos de um suicida que não morreu: ou O professor foi ali se suicidar e já volta ou Nada é o que parece ser"

“Desligue o celular, Joãzinho!”

Travessia

Do canto ao silêncio das sereias