Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2007
Finalmente algum programa para desmascarar o Jucelino Nóbrega da Luz. Ele está há tempo enganando as pessoas com suas previsões, que aparecem depois dos acontecimentos com cartas supostamente registradas... Tudo mentira. Dêem uma olhada no site dele. Há previsões para o futuro mas todas vagas. Se surgir algum grande evento, vai aparecer uma outra carta... O Fantástico de hoje à noite me surpreendeu.

Faccioli

Dos textos literários que têm a música clássica como leitmotiv podemos citar poucos. Entre esses, destaco a novela O homem amoroso, do Luiz Antonio de Assis Brasil e o conto “Um homem célebre” do grande Machado de Assis. Na época em que li o texto do Assis Brasil, descobri a paixão pela música erudita (além de saber que o escritor não escrevia apenas aqueles livros “enormes”). O conto de Machado, por sua vez, serviu como um lenitivo para mim, aprendiz de escritor, por tratar das dificuldades da criação artística.
O romance de Luiz Paulo Faccioli, Estudos das teclas pretas, publicado pela Editora Record, mostra os efeitos que determinadas músicas, em situações específicas de nossas vidas, podem proporcionar. Paulo Amaro, personagem principal, conta sua história numa espécie de romance de formação em que a música tem um papel preponderante. Tudo começa com Quinta Sinfonia de Mahler, que ele escuta quando tinha doze anos de idade, junto com um amigo mais velho, o qual tenta se aproximar s…

Crateras e voçorocas

Em São Paulo, no começo do ano, uma enorme cratera, provocada por uma construção de túneis para o metrô, engoliu caminhões e carros. Lembro das voçorocas do romance Ópera dos mortos, de Autran Dourado. Uma metáfora para a cidade de Duas Pontes que se destruía física e moralmente. Qualquer semelhança NÃO é mera coincidência. Isso me fez também lembrar o romance Noite do oráculo, de Paul Auster, quando um personagem diz que o escritor não escreve sobre o passado, mas sim sobre as coisas que vão acontecer.

Agora vai...

Escrever qualquer coisa. Esse é um dos primeiros ensinamentos do livro do Raimundo Carreiro, Os segredos da ficção. Escrever sempre, todo o dia. Um diário sério, segundo ele. Era até o meu objetivo quando criei meu blog, mas como não tinha internet em casa, acabei não cumprindo o que queria. Por isso os posts são muito raros. O Luiz Paulo Faccioli me cobrou isso, ele que também não visita seu próprio blog. Agora que tenho internet, vou atualizar para meus dois ou três leitores. Poucos mas com qualidade.
*
Como podem perceber pelo título do meu blog, tenho entre minhas paixões o samba. Adquiri três CD´s do João Nogueira, de 79, 80 e 81. Nos dois primeiros, há a inesquecível parceria entre ele e Paulo César Pinheiro em músicas como Súplica e Poder da Criação, que fazem parte de uma trilogia que seria completada mais tarde com a música Minha Missão. Se não há poesia no samba, há o quê? Leiam esses versos de Súplica:

O corpo, a morte leva
A voz some na brisa
A dor sobe pras trevas
O nome, a obr…