Resenha abortada (I)

Já dizia o Albert Camus, a única questão filosófica que existe é o suicídio. Pois é do próprio escritor francês a epígrafe que abre o romance de Antonio Di Benedetto, Os suicidas: “Todos os homens sãos pensaram em suicídio alguma vez”. Tema importante na literatura universal, está presente em obras fundamentais, sendo o caso mais conhecido o romance Werther, de Goethe, cujo personagem principal se suicida por causa de um grande amor. Na época, houve uma onda de suicídios de jovens na Europa, influenciados pela obra do gênio alemão. Poderíamos citar outros livros, como Ana Karênina (que está sendo lançado em nova tradução de Rubens Figueiredo), cuja morte da personagem principal é antológica. Para mim, porém, o melhor texto sobre o tema é o singelo e impactante “Passeio”, de Guy de Maupassant.

Comentários

Priscila Lopes disse…
Gostei do seu site. Nota-se que você é bem lido. Não no sentido revistinha Veja, e vamos lá: quais os dez mais vendidos livro de Auto-Ajuda. Mas no bom sentido.

Eu o convido a conhecer o blog que inicio com uma amiga, no qual nos propomos a faer crítica literária em forma de literatura: Cinco Espinhos.

http://cincoespinhos.blogspot.com

Toda semana estaremos garimpando a internet à procura do texto que valha a pena, de um autor "desconhecido". No Garimpo Semanal desta semana selecionamos um português, confira.

Obrigada pela atenção.
Priscila Lopes disse…
Ah, agora que li seu perfil. Professor. Então, que gafe a minha citar auto-ajuda. Não? (risos) Participe também da nossa enquete. É o último dia. Abraços!

Mensagens populares deste blogue

"Eu te amo" ou sinal do Diabo?

Sobre “Amortalha”, de Matheus Arcaro