Assim falou Zaratustra...

Na ZH de hoje:

- Os sinos da catedral anglicana de Liverpool interpretarão em maio a canção Imagine, de John Lennon, definida pelo próprio como “hino antirreligioso”. Os administradores do local, construído entre 1904 e 1978, consideraram “a sensibilidade” da letra e decidiram que sua capacidade de atrair as massas supera seu potencial para a ofensa.


Isso me fez recordar do que ouvi em uma palestra há alguns anos, de um professor de linguística da Alemanha, na Semana Acadêmica de Letras da UNISC. Nos primeiros dias em que estava morando no Brasil, assistia à TV pela manhã bem cedo, quando começou um programa desses da Igreja Universal. Como tema de abertura, a música “Also sprach Zaratustra”, de Richard Strauss. Disse o palestrante: “ora, o que falou Zaratustra na obra de Nietzsche? –Deus está morto. Das duas, uma – ou os membros da IURD são ignorantes e usaram a música sem saber seu significado, ou realmente não é Deus quem é o exaltado nesta instituição.”

Mas até é elogiável a atitude dos administradores da catedral anglicana, pois perceberam que as artes, para serem belas, independem do caráter religioso, assim como eu, que sou ateu, fã de Bach, por exemplo, admiro várias obras de inspiração religiosa (muitas delas, aliás, realizadas por descrentes).

Comentários

Moça do Fio disse…
Risos.

Engraçado como Nietzsche vem sendo lido, deturpado e relido ao longo dos anos.

Meu professor de Teoria da História disse que uma vez, no tempo de estudante dele, viajou para Brasília para um Encontro e viu um carinha usando uma camisa com a seguinte inscrição:

[na frente da blusa]

"Deus está morto" - Nietzsche.

[atrás]

"Nietzsche está morto" - Deus.

Hehehehehe.

Abraço.

Mensagens populares deste blogue

"Eu te amo" ou sinal do Diabo?

Sobre “Amortalha”, de Matheus Arcaro