Quatro notas que não são musicais

Com romance concluído e o aval de três professores doutores de literatura (sendo um deles Sérgio Schaefer, autor do monumental Rosas do Brasil) para publicação, estou refletindo sobre os próximos passos. Lógico que eu tenho as portas abertas na minha editora atual. Por outro lado, sinto a necessidade de chegar a uma casa um pouco maior, que pelo menos distribua a obra nas livrarias e que destine exemplares a críticos e resenhistas. Há uma escritora conhecida que talvez me indique para uma grande editora. Não vou alimentar mais uma falsa esperança. Pés no chão.
*
Quinta-feira fui entrevistado pelo Luís Dill para o programa "Tons e Letras" da FM Cultura de Porto Alegre. A entrevista deve ir ao ar no dia 16. Mais um que disse ter gostado muito do conto "Ônibus" do meu primeiro livro.
 *
Sei que ninguém está sentindo falta, porém espero postar mais regularmente por aqui. Reparem que descrevo o blog apenas como de literatura. No entanto, não vou deixar de lado outros temas, principalmente o ateísmo e a filosofia.
 *
Ainda sobre o romance, os leitores do blog já leram alguns trechos aqui sem o saber.




Comentários

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu