"O horror! O horror!" foi o que presenciei ontem na noite de carnaval, numa cidade cujas ruas estavam tomadas por um bando de... de..., bem, não quero ofender nenhum tipo de animal. Agora, nada melhor do que estar no meu cantinho, tomando um café, rodeado de livros, ouvindo música clássica e escrevendo ou lendo.

Comentários

Carlinus disse…
Cassionei, entendo o que dizes. Nada como está, no dizer de Érico Veríssimo, escritor de tua terra, no nosso "porão da liberdade".

Abraços mongéticos!
Cassionei Petry disse…
Me sinto livre no meu claustro.

Mensagens populares deste blogue

"Eu te amo" ou sinal do Diabo?

Sobre “Amortalha”, de Matheus Arcaro