100 razões para eu me matar agora mesmo

Retirado do blog do Almir de Freitas. Trata-se de uma lista escrita por Roland Topor. Ilustrações do próprio Topor:


1. É o melhor jeito de eu ter certeza de que já não estou morto.
2. Para jogar fora o último censo.
3. Estão me esperando lá embaixo para começar a festa.
4. Atiram em cavalos, não atiram?
5. Vou subir no conceito dos meu pares.
6. Não vou mais temer o fim do milênio.
7. Exatamente como Werther! Não vão mais dizer que eu não leio direito.
8. Eu faria do meu câncer um tolo.
9. Eu faria do meu horóscopo um mentiroso.
10.Para arruinar a carreira do meu analista.
11. Para não ter de votar.
12. É uma cura infalível para a calvície.
13. Para fazer um começo novinho em folha.
14. A morte enobrece: um fidalgo, finalmente.
15. Eu me sentiria menos sozinho.
16. Eu seria festejado no próximo Finados.
17. O custo de vida aumenta, mas a morte continua sendo acessível.
18. É uma boa maneira de encontrar suas raízes.
19. Finalmente um golpe de artes marciais que eu posso dar.
20.Para ser verde e fertilizar a relva.
21. Para marcar o dia com uma pedra branca.
22. Para outros darem um uso melhor ao meus órgãos.
23. Para abrir caminho para a juventude.
24. Enfim, um papel de protagonista!
25. Para aproveitar o exibicionismo nas mesas de dissecação.
26. Para saborear as delícias sutis da reencarnação.
27. O pesadelo dos anos bissextos, enfim terminados.
28. Para dar uma dimensão moral a minha obra.
29. Para as pessoas me considerarem um homem honrado.
30. Para fazer desta lista minha última vontade e testamento.
31. Me tornarei cidadão do mundo.
32. Eutanásia não foi feita para cães!
33. Terei a última palavra.
34. 67% dos franceses apoiam a pena de morte.
35. Porque é uma boa maneira de parar de fumar.
36. Para resolver minha dualidade: verei as coisas mais claramente quando um de mim se for.
37. É uma passagem menos trabalhosa que um parto.
38. Não sobrará nada para fazer.
39. Não quero exagerar minha necessidade de previdência social.
40. Para matar um judeu, como todo mundo.
41. Para fazer parte da maioria silenciosa. A única de verdade.
42. Para deixar para trás uma viúva cheia da juventude.
43. Não posso viver me preocupando se meu desodorante venceu.
44. Para me desvencilhar do projeto geral.
45. Para preservar o mistério em torno de mim.
46. Para provar que a bomba de nêutrons não pode me ferir.
47. Para perder peso sem dieta, sem mover um dedo!
48. Insisto em cumprir a determinação federal das férias escalonadas.
49. Estou tentando poupar alguém das consequências nefastas de um assassinato.
50. Para economizar energia, café e açúcar.
51. Para não ter vergonha ao me olhar no espelho de novo.
52. E se eu for imortal? Posso descobrir isso o quanto antes.
53. Serei uma boca a menos para alimentar.
54. Para provar a TODO MUNDO que eu não sou um covarde.
55. Para contar quantas pessoas vão chorar no meu funeral.
56. Para ver do lado de lá — se eu chegar lá.
57. Em vez de arrancar um a um meus cabelos brancos, arranco minha cabeça inteira de uma vez.
58. Com um revólver: para fazer barulho depois das 22h.
59. Com gás: para saborear os encantos desse último cigarro.
60. Por enforcamento: para transformar uma reles corda num amuleto.
61. Debaixo de um trem: para prolongar as férias de algumas pessoas.
62. Com barbitúricos: acho que vou dormir amanhã de manhã.
63. Eletrocutado: para agitar um pouco as coisas.
64. Defenestrado: para fugir do meu medo de elevadores.
65. Ouvi dizer que a morte é a saída mais fácil. Vou me dar alguns bons momentos.
66. Se suspender minhas assinaturas, não perco nada.
67. Para ser bom com (minúsculos) animais.
68. Para morrer no mesmo ano que Elvis.
69. Para escapar dos impostos.
70. Para fugir do aluguel.
71. Para parar de roncar.
72. Para voltar e puxar o pé dos meus inimigos à noite.
73. Porque sou uma espécie em extinção e ninguém está me protegendo.
74. Para que eu não plagie a mim mesmo quando velho, como Giorgio de Chirico.
75. Porque eu preparei uma última declaração e vou esquecer se esperar demais.
76. Para cortar meu cordão umbilical de uma vez por todas.
77. Para fundar um novo estilo: Arte Morta.
78. Para assistir ao filme da minha vida numa sessão super-exclusiva.
79. Para ver se existe alguma virgem no lado de lá.
80. Para que me deem banho quando eu estiver (com) frio.
81. Porque mal posso esperar para usar o epitáfio engraçado que criei: TANTO MELHOR
82. Para ver se os paralíticos vão se curar diante da minha sepultura.
83. Então o século 20 finalmente conterá um evento importante.
84. Para fazer uma festa requintada de sangue de jovens mulheres, uma vez que sou um vampiro.
85. Porque eu sempre quis falar uma língua morta.
86. Então posso, de forma bem surpreendente, dizer a todos o que acho do suicídio.
87. Porque Paris não é mais o que costumava ser.
88. Porque Grouxo Marx está morto.
89. Porque eu já li todas as aventuras de Sherlock Holmes.
90. Porque as previsões meteorológicas me decepcionam.
91. Então outras pessoas seguirão meu exemplo.
92. Para começar uma revolução.
93. Para provar minha habilidade — se eu não errar.
94. Para mudar de amigos.
95. Para mudar o cenário.
96. Para ficar acima da lei.
97. Porque um suicídio bem feito vale mais a pena que um vida mediana.
98. Então eu não morrerei num hospital.
99. Então meu sangue fará uma bela mancha numa tela.
100. Porque tenho mil razões para odiar a mim mesmo.

Comentários

Tom disse…
"57. Em vez de arrancar um a um meus cabelos brancos, arranco minha cabeça inteira de uma vez.

94. Para mudar de amigos."

HAHAHAHAHA Vizinhança tranquila.
Cassionei Petry disse…
Puxa, essa lista está muito incompleta.
Fabiano Felten disse…
Não fiquei convencido, ainda.

Não é verdade que, enquanto falamos, não cometemos suicídio? Topor pelo jeito precisou até pintar.

E o quadro me fez lembrar que eles passarão, eu passarinho.

Abração!
Cassionei Petry disse…
Por isso que vou pensar em outras 100 razões. Abraço.
charlles campos disse…
Maravilhoso!

Olha como são as correlações mentais: dormi ontem pensando em escrever algo sobre suicídios. De manhã, vejo esse post. Minha intenção era escrever sobre suicídios acidentalmente bem sucedidos: as cômicas asfixiofilias de David Carradine e Michael Hitchence. E sai algo sobre Wallace.

Abraço.
Cassionei Petry disse…
Eu apresentei, inclusive, um trabalho sobre o tema num colóquio nacional e foi publicado um resumo. Estou esperando agora o aceite do ensaio por uma revista acadêmica.
Índia disse…
Sensacional, copiaria muitas dessas razões.

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu