Algumas reflexões surgidas no painel citado no post anterior

Às vezes me considero um gênio incompreendido. Outras vezes me considero um fracasso. Não sou nenhum nem outro.

O prazo para escrever nunca foi empecilho, pelo contrário, pois só funciono quando o tempo aperta.

Escrevemos sobre o que nos angustia. Por isso tenho muitas personagens que são escritores.

Sempre terei um público pequeno para me ler/ouvir. Pequeno em quantidade, mas grande em qualidade.

Você pode, se souber fazer bem, subverter as regras da ABNT na monografia ou na dissertação.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Eu te amo" ou sinal do Diabo?

Sobre “Amortalha”, de Matheus Arcaro