Heráclito de Éfeso e o Mestre Imaginário


34 - Também quando ouvem não compreendem, são como mudos. Justificam o provérbio: presentes, estão ausentes.
35 - De muitas coisas devem homens amantes da sabedoria estar avisados.
49a - Descemos e não descemos nos mesmos rios; somos e não somos.
64 - O relâmpago governa o universo.
91 - Não se pode entrar duas vezes no mesmo rio. Dispersa-se e reúne-se; avança e se retira.


§ Já imaginou o absurdo que seria escrever os fragmentos de Heráclito de uma só assentada? Coisa de poucas horas, de nenhuma valia, em si um absurdo. O tempo filósófico supera toda espécie de tempo, aspira à atemporalidade. Se isso é possível, permite-se todo o sonho, ambição e angústia.
Autra Dourado, em Meu mestre imaginário

Comentários

Mirella disse…
De acordo ao cubo.

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu