Minha casa deixou de ser ilusão

"A casa é onde quero estar"

A ilusão da casa, de Vitor Ramil

As imagens descem como folhas
No chão da sala
Folhas que o luar acende
Folhas que o vento espalha

Eu plantado no alto em mim
Contemplo a ilusão da casa
As imagens descem como folhas
Enquanto falo

Eu sei
O tempo é o meu lugar
O tempo é minha casa
A casa é onde quero estar
Eu sei

As imagens se acumulam
Rolam no pó da sala
São pequenas folhas secas
Folhas de pura prata

Eu plantado no alto em mim
Contemplo a ilusão da casa
As imagens se acumulam
Rolam enquanto falo

Eu sei
O tempo é o meu lugar
O tempo é minha casa
A casa é onde quero estar
Eu sei

As imagens enchem tudo
Vivem do ar da sala
São montanhas secas
São montanhas enluaradas

Eu plantado no alto em mim
Contemplo a ilusão da casa
As imagens enchem tudo
Vivem enquanto falo

Eu sei
O tempo é o meu lugar
O tempo é minha casa
A casa é onde quero estar
Eu sei



Comentários

Parabéns, Cássio!!!

Que tu e tuas meninas encontrem aconchego e paz no novo lar. Felicidades pra todos vocês!!!
Tonzete disse…
Wow! Que casa, hein!
۞ Potira ۞ disse…
Cassionei,

Vim aqui desejar tudo de bom pra ti e tua família na casa nova!

Que todos sejam muito felizes!!!

=)
Rejane Martins disse…
Parabéns pela conquista! Tua postagem está demais com o imprescindível Vitor Ramil e a concretização de uma felicidade. Combinação perfeita - alegria estampada!
Anónimo disse…
Olá, meu caro Cassionei! Que coisa bacana esse teu post. A maneira como te expressas me fez lembrar de "A poética do espaço", do Bachelard. Se por um lado, sim, "casa é onde quero estar", também é possível afirmar: "A casa é onde estás". Em dois sentidos: primeiro, porque tens realmente uma linda casa; segundo, porque onde estás há livros, e onde há livros, é a casa. Só é casa onde há livros, reza a vida. Essa vida. Grande abraço pra ti, competentíssimo leitor. Romar