"Minha mãe se matou sem dizer adeus", de Evandro Affonso Ferreira


"Escrever para não morrer; lavrar para não se matar."(p. 34).

"Ainda não cortei a teia da própria vida porque me seguro nas palavras; o vocábulo é minha âncora." (p. 35).
"Às vezes penso que nasci para escrever; não nasci para viver; escondo-me atrás das palavras." (p. 37).
"suicidas convictos são monossilábicos" (p. 50).
"A palavra é meu parapeito; escrever para não ceder." (p. 59).
"Já no início da adolescência ele meu pai me mostrou através da história que a religião é desde tempos imemoriais uma fonte viva de violência. Hoje as palavras são contas do meu rosário; o vocábulo é minha devoção; o verbo minha crença. Escrever para protelar o Nada absoluto." (p. 66).

Comentários

Jopz_B1B disse…
Achei bem interessante, vai pra lista de melhores links da semana, valeuz, bom findi,

JOPZ

http://b1brasil.blogspot.com.br/2012/04/links-da-semana.html

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu