Nos últimos dias estou sem ânimo para ler e escrever. A preguiça mental, como costumo chamar, me ataca nesta época do ano em que se acumulam provas de alunos com recuperação paralela e mais uma porção de redações sofríveis que tenho que corrigir. O mestrado, no entanto, me obrigou a driblar um pouco tudo isso, já que é preciso aprontar artigos para a conclusão das disciplinas.

Acabo, portanto, lendo textos de forma obrigatória, apesar de prazerosos, e escrevendo somente textos acadêmicos, salvo a coluna Traçando Livros, que impus a mim mesmo como um desafio de escrever de forma quinzenal. Por isso as lamúrias aqui no blog, o que deve ter afastado alguns leitores. Lamento, mas preciso desabafar e só faço isso escrevendo e, de preferência, publicando aqui. Com exceção, claro, do desabafo sobre o mestrado, texto que ficará inédito.

Me dói, entretanto, saber que estou desperdiçando meu tempo navegando na internet ou assistindo a programas medíocres na TV. Ontem, por exemplo, gastei preciosos minutos vendo uma partida de futebol. Atitude burra a minha.

Preciso me concentrar mais para ler. A fila de leituras se acumula, o romance pede mais páginas, há filmes clássicos a que preciso assistir, há o blog que precisa ser alimentado. Bem, e agora há uma resenha que precisa ser terminada. Até mais, meus queridos e silenciosos leitores.

Comentários

Fabiano Felten disse…
O silêncio... Como uma sessão de psicanálise, em que o psicanalisado geralmente não está muito à vontade com a quietude do psicanalista.

Não sou psicanalista, mas acho que você não vai se matar.

Mas, pensando melhor, será que, em permanecendo inédito esse desabafo sobre o Mestrado, um trauma seja alimentado? Ai, ai, ai, Cassionei...

Abração!
Cassionei Petry disse…
Vamos ver, vamos ver...

Mensagens populares deste blogue

"Eu te amo" ou sinal do Diabo?

Sobre “Amortalha”, de Matheus Arcaro