Emenda pior que o soneto

Hoje estou sendo ridicularizado, chamado de arrogante e de não ter boa índole por ter comentado o caso de plágio no jornal Gazeta do Sul, em que colaboro (ou colaborava) com a coluna "Traçando Livros" e eventualmente nas páginas de opinião. O errado sou eu, então. O autor me mandou dois e-mail em que me chama de uma porção de coisas e divulga seu blog, colocado no ar há menos de uma hora, dizendo esclarecer o assunto. Leiam vocês mesmos e tirem a conclusão se houve esclarecimento, lembrando que o texto foi publicado no jornal há uma semana (sem referência ao LFV) e o blog só hoje: http://www.gaz.com.br/blogs/deletra/posts/10303-peladas_e_boas_vindas.html.
Lembro que não estou falando mal do jornal, a quem devo o espaço para escrever desde os 17 anos (ou seja, há 15 anos). Mas como leitor eu não poderia tapar o sol com a peneira, depois de chegar de um descanso de uma semana e me deparar com um texto plagiado. Nem por isso vou deixar de dizer com orgulho que sou (ou era) colaborador deste veículo, o melhor da região, como insinuou o revisor do texto (que deixou passar o plágio) em uma rede social, dizendo que eu estaria sendo incoerente. Meu nome está ligado ao jornal, mesmo não sendo funcionário, e isso não tenho como negar. Mas a defesa do direito de quem escreve está acima disso. O autor também diz que estou sendo mesquinho e está vendo maldade no que eu fiz. 
Apontar um plágio é errado?

PS: O autor modificou um trecho da entrada do post, acrescentando que não havia citado LVF na versão impressa. Segundo o jornalista, o blog foi criado há mais de uma semana, mas entrou no ar só agora.

PS em 29/02: O blog foi tirado do ar.

Comentários

Tom disse…
Que gente mais ridícula, psor. Patético. Isso, sim, que é vergonhoso.
Não está errado mesmo. Você só mexeu um pouco com os brios deles que, como jornalistas, deviam já estar acostumados com a crítica. O que você detectou foi um problema que, sim, é mesquinho, pois foi roubado de alguém, plagiado. Como leitor, claro, temos sim o direito de nos pronunciar. E ele como profissionais do jornalismo devia saber lidar com isso com mais maturidade!
Flauzino disse…
Cassionei Petry disse...

Falou tudo, Charlles. O meu problema é ser professor de língua portuguesa. Parece ser proibido o erro para esse profissional. Por isso, até no Msn eu me policio, pois sempre há um otário pra apontar um erro. Às vezes, como acontece por aqui, um leitor aparece só para apontar um erro e nunca para elogiar ou acrescentar algo.
Carlos Arruda disse…
Simplesmente patético publicar um texto de outrem em um jornal de grande circulação, como se fosse seu. Ainda por cima se volta contra quem percebeu a maracutaia. Espero que tenha aprendido a lição, embora duvide muito, pelo antecedentes do gajo.
Cassionei Petry disse…
Tom, Dilso e Carlos, obrigado pelos comentários.
Flauzino, sabe aquele luga-comum? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
Anónimo disse…
Absurdo Cassionei. Não é possível que o pseudo-autor ainda se julgue no direito de criticar a tua observação. Também acho que a publicação de teus textos como colaborador da Gazeta deve ser inquestionável. Se alguém ousar questionar isso é porque as coisas são ainda piores do que parecem...
Abraço
Aninha
Fabiano Felten disse…
Oi, Cassionei.

Mas que absurdo. Conhecia o texto do Verissimo também. Plágio descarado mesmo, quase integral. E o cara criou um blog às pressas para se desculpar? Esqueceu de citar? Citação é bê-a-bá. Só "esquece" quem achar que ninguém perceberá.

Incoerente está sendo o comentário do revisor. Ele é revisor, oras. Deveria saber quem tem razão. Caso contrário, as coisas de fato são ou estão piores do que parecem...
Cassionei Petry disse…
Obrigado, amigos. A coisa ficou complicada pro meu lado. Alguns projetos vão terminar por isso. Mas durmo com a consciência tranquila.
Foi plágio e, ainda por cima, plágio mal feito: copiou e colou uma crônica famosa de um escritor nacional famoso para, depois, deletar esta ou aquela frase e matar a crônica. Em suma, malandro sem ginga.
Boa sorte pra ti agora, Cassionei, porque botar a cara à tapa é algo muito complicado.
Anónimo disse…
Cassionei, não é possível que a Gazeta, tão tradicional e sério grupo de comunicações da cidade seja capaz de coibir tua ação e te boicotar de alguma forma por isso. Não é possível! Então, por ser o rapaz um teu "colega" deve estar imune à críticas. E pior: o errado é quem vê o "engano", do cara!!! Não é possível!
Aninha
Cassionei Petry disse…
Na verdade, Aninha, não surgiu nada de concreto em não ser mais o colaborador, mas pelo mal estar que o episódio causou, cheguei a comentar com o editor do Mix, o Mauro, que não iria mais colaborar, por motivos que talvez explicite mais adiante. Como o editor silenciou e não me mandou um e-mail de resposta, acho que não serei mais colaborador.
Cassionei Petry disse…
João, obrigado. Dei minha cara a socos e pontapés mesmo.

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu