Bauman foi mais esperto (XI)

Nos últimos dias, passo por certa agonia pela possibilidade de ter uma doença nada agradável. Faço um tratamento enquanto aguardo os resultados dos exames (sangue, urina, ecografia) e a palavra do médico. Os remédios que tomo me deixam com uma sensação esquisita, tonturas.
A dúvida, a espera, o silencio.
Melhorei um pouco, hoje termina a primeira semana de tratamento e um dos remédios, acho que o mais pesado, chega ao fim. Pessimista que sou, dessa vez estou otimista. Quero ficar apenas doente de literatura.

Ah, hoje é o Dia Internacional do Livro. E?

Comentários

charlles campos disse…
Dengue parece não ser. Espero que tudo fique bom para esse suicida assustado. :-))

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu