Bergman, sobre o suicídio

“Como todas as outras crianças, quando era pequeno, decidi um dia passear na floresta sem dizer nada a ninguém, desaparecer, me estender no chão, morto, e pensar então na família que estaria naturalmente extremamente triste!"
(In: BJÖRKMAN, Stig. O Cinema Segundo Bergman. Tradução de Lia Zats. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu