Poema de Emily Dickinson


Não é preciso ser um Quarto - para estar assombrado -
Nem é preciso ser uma Casa -
O cérebro tem Corredores - que ultrapassam
Os lugares materiais -

Bem mais seguro o Encontro Nocturno
Com um fantasma Concreto
Do que o confronto interior -
Com o Hóspede mais Frio.

Bem mais seguro o galopar por uma abadia,
Com as pedras atrás -
Do que encontrar-se consigo mesmo, Desarmado -
Num ermo -

Esse Eu que o próprio Eu encobre -
Eis o maior susto -
Nem um Assassino escondido em nossa Casa
Seria mais Horrível.

O Corpo - pega numa pistola -
Aferrolha a Porta -
Mas esquece um espectro bem maior -
Ou Pior ainda -

Comentários

Mensagens populares deste blogue

No Traçando Livros de hoje, Milan Kundera e A arte do romance

Uma resenha que não aconteceu